Pular para o conteúdo principal

Aprendo com meus filhos


Que alegria! Mais uma blogagem coletiva organizada pelas meninas, Tê Nolasco do blog Bolhinhas de Sabão para Maria e Cris Philene do Prosa de Mãe.
O tema proposto para esse mês é: "Filhos: com eles mais aprendo do que ensino".

Assim que o tema que seria proposto para essa blogagem, lembrei-me imediatamente de um programa na rádio, quando Monja Coen, da tradição zen-budista, atendeu ao telefone e orientou uma mãe muito aflita.

Essa mãe contava que sua rotina com o filho era tão atribulada que ela não encontrava tempo para suas orações, nem para frequentar algum templo, muito menos fazer um retiro. Lamentava-se por estar distante de sua religiosidade.

A resposta da monja foi surpreendente! "Você não precisa ir a nenhum templo e você não está de maneira alguma distante da tua religiosidade; você tem um professor te ensinando o tempo todo - o teu filho! Aprecie todos os ensinamentos e oportunidades que ele te proporciona e ensina dia a dia".

Quando sabemos que seremos mães, pais, é natural nos colocarmos no papel de cuidar, educar, ser responsável por um ser totalmente dependente de nós. Temos um precioso tesouro em nossas mãos e uma grande responsabilidade que é criar um filho. E podemos nos esquecer aquela criança também ensina.

E são tantas as maneiras que nossos filhos nos ensinam!

Vamos aprendendo a disciplina, temos que alimentar em horário regrado nosso bebê, nossa criança. Podemos querer melhorar a alimentação de nosso lar.
E por aí vai... acho que esses são aprendizados bem visíveis.

Nossos filhos vão além, muito além e nos ensinam de maneira sutil a paciência, o perdão, a alegria, a fé.

Às vezes nos ensinam tudo isso misturado - temos que ser mais firmes, falar ríspido, respirar, ter paciência e desculpar.

Às vezes, aprendemos algo numa das fases de nossos filhos.
Eu agora estou aprendendo, praticando a confiança, a fé, em tudo o que nós, enquanto família, transmitimos ao nosso filho Bernardo.

Ele bateu suas asas para estudar e morar no campus da faculdade. Agora é o momento de confiar nele e em tudo o que lhe ensinamos. E aprendemos com sua maturidade, seus sonhos, suas asas que começam a alçar voo.

Monja Coen tem razão: não importa qual seja o seu credo, com os filhos podemos aprender e exercitar tudo o que as grandes tradições nos ensinam.
Paciência, generosidade, fé, perdão, amor, compaixão - nossos filhos são uma fonte inesgotável dessas maravilhosas virtudes.

Vamos educá-los com o nosso coração aberto, para aprender tudo o que eles também nos oferecem!

...


Uma dica gostosa sobre aprender com as crianças, é o instagram @frasesdecriancas
Ah! Como é gostoso passear por lá!
Um pedacinho:

" - Meri, você sabe nadar?
  - Não, mas sei aprender."   Meri, 2 anos



No dia em que saiu de casa 
Ai! Que o coração aperta e também se alegra!



Os meus tesouros! Tanto aprendo com eles,
sem dúvida sou uma pessoa melhor por causa deles!







Comentários

  1. Oi Ana, Eu também concordo com a Monja, temos um grande mestre em nossa casa... e esse aprendizado começa desde o momento que nos "sabemos mãe", pois é preciso paciência, resiliência desde essa época...
    Os filhos crescem e o aprendizado vem maior ainda, pois os desafios também são muito maiores... e acho que aprendemos muito mais com os desafios que nos são apresentados na maternidade...

    Eles ensinam o amor sem complicações o perdão todos os dias...
    Sim, nós ensinamos, mas aprendemos muito mais...

    Tenho certeza que Bernardo vai dar frutos e flores agora de todas as sementinhas semeadas por vocês... É um terreno fértil, um solo firme que só trará crescimento...

    Ana, obrigada mais uma vez pela rica participação. E por falar em aprender, aprendo muito por aqui. Gratidão

    Vou levar seu link.

    Beijos doces no coração

    Tê e Maria ♥

    ResponderExcluir
  2. Ana, li ontem à noite,mas deixei opra comentar hoje. Adorei e falaste tudo ...A Monja lembrou muito bem e aqui aplicaste.

    Ao ver as fotos ,chegou a dar um arrepio... Lindos e grandes, noutra fase de vida e imagino o aprendizado ( na marra!!!) que estás tendo. Sufocar o medo, as tensões e seguir, sempre esperando notícias e tudo mais e ainda, sem muito demonstrar pois tens a Julia que tudo vê e tuuuuuuuuuuudo sente! è fogo! E assim vamos pela vida: aprendendo sempre! Adorei te ler! beijos, tudo de bom pra todos vocês! chica

    ResponderExcluir
  3. Oh amiga,... que grande aprendizado essa blogagem, que delícia ler seus pensamentos e reflexões... sempre somando e adicionando um pouco mais.
    E como aprendemos com nossos filhos... não importa a idade deles, cá estamos aprendemos dia após dia.
    E amiga que força e garra vê seu passarinho voando.... mas, tenho certeza que os ensinamentos passados ele carregará consigo,s em dúvidas.
    Amei seu relato.
    bjs, Cris

    ResponderExcluir
  4. Oi Ana, que belo exemplo trouxe para esta série., uma ilustração desta já é uma postagem.
    Acompanhando este projeto da Tê e Cris, que cada mãe que leio acho lindo e revejo o que se passou por aqui com um filho de 30 hoje.
    Parabéns por fazer parte destas partilhas que ensinam e que aprendem.
    Gostei.
    Meu terno abraço de paz e luz.
    Feliz semana de paz com alegria com ou sem folia.

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana, me perdoe a demora por passar aqui.
    Demoro as vezes, porque quero vir inteira e apreciar suas palavras com o coração.
    Sou apaixonada pela Monja Coen, mas a conheço das palestras no youtube, e agora com os vídeos diários que são realizados através de perguntas e respostas.
    Amei tudo que vc escreveu, porque é exatamente isso, os filhos, a própria vida e as pessoas ao nosso redor, são fontes inesgotáveis de aprendizado.
    Aprendemos sempre, e com os filhos a imersão é profunda, as vezes dolorosas, mas que enriquece a gente, nos tornando pessoas melhores.
    Que lindas fotos.
    Dá aquele aperto né, Ana... Mas Deus abençoe a jornada do Bernardo, e acolha o coração de mãe, porque não é fácil, eu imagino!!!
    Amoooo vir aqui.
    Beijos doces.
    Ju

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O vestibular

São exatamente 11h15min de uma sexta-feira, 23/11/2019. Sol, céu azul com pouquíssimas nuvens e a primeira fase do vestibular escolhido por meu filho Bernardo começará logo mais, às 13h30min. Ele já saiu de casa.


Tentamos manter uma "aparente" normalidade na nossa rotina, sem menções, conselhos de última hora e afins. As aspas amparando a palavra aparente é mesmo para dizer que sim estamos todos, pai, filha, filho e eu, a mãe que iniciou o almoço às oito e meia da manhã, um tanto confusa se a água da chaleira era para o café ou para o arroz, com emoções que podem ser traduzidas em ansiedade, esperança, confiança, medo, alegria, tristeza. Deve ser tudo isso muito misturado.
De nossa parte, os pais, não há cobrança alguma, apenas apoio para um sonho.
De minha parte, há o reconhecimento de um empenho surpreendente que já acontece há dois anos. Há também o reconhecimento de que é uma prova extremamente complexa. Há colegas de meu filho que estão nessa lida há 4 anos.
Sei, sabemos, qu…

Na casa da vizinha

Mais uma blogagem coletiva da qual participo com alegria, organizada pelas meninas Cris Philene do blog Prosa de Mãe e Tê Nolasco do blog Bolhinhas de Sabão para Maria.
O tema desta vez é "Ser mãe nem sempre é ser super".
Quero começar esse texto, convidando-os a uma reflexão a partir de uma arte. 

O artista dessa imagem pode ser conhecido no instagram - @m_melgrati e a publicação está no perfil @olugar.
Redes sociais que usam imagens/fotos e textos curtos, em sua quase totalidade, pode ser representada por essa imagem. Nas telinhas, todos estão felizes, não há cabelo no ralo.
No meu ralo tem cabelo, mas eu não vou fotografar e postar no instagram...
E por isso eu aprecio os blogs, os textos longos e as blogagens coletivas que nos permitem falar também sobre o cabelo que tá no ralo!
O problema não está no instagram, facebook, snapchat, enfim. O problema está em quem olha aquilo e acredita que há felicidade em tudo. Escolhemos o que publicar e podemos escolher também escolher em que…