Pular para o conteúdo principal

Postagens

As dores e as delícias da maternidade

Desculpem o trocadilho, mas que delícia é escrever sobre as delícias da maternidade!
O milagre e o mistério de carregar dentro de si, seja no útero ou no coração, um serzinho que logo estará em nossos braços e se tivermos abertura suficiente podemos nos encantar com cada simples sorriso, cada conquista.



Dois momentos trazidos dos nossos álbuns de fotografias que são puro deleite!
Porém, nessa blogagem eu escolhi focar não nas delícias, mas nas dores e sofrimentos.
Não é confortável, nem tampouco agradável falar de sofrimento, de dor. Tentamos ao máximo evitar os sofrimentos; ninguém acorda desejando ter um dia bem difícil, cheio de percalços. O tempo todo almejamos a felicidade.
"A arte de viver feliz também é a arte de transformar nossas aflições. Se queremos ser felizes, devemos identificar o que nos impede de sermos felizes. O ato de encarar nosso sofrimento pode nos indicar uma saída, um caminho em direção ao bem-estar". *
Vamos falar um pouco de emoções aflitivas?
Colocarei um …
Postagens recentes

Memórias que despertam

Hoje, (quarta-feira-13/03) lembrei-me que se aproxima a data de uma blogagem coletiva, que aborda temas referentes à maternidade, a qual tenho participado com muito entusiasmo. Trocas, interações, pontos de vista diversos, isso tudo agrega, amplia horizontes.

 Geralmente eu escrevo com a inspiração que me vem naquele momento de publicar a postagem. Desta vez, entretanto, foi diferente: pensei em algumas fotografias que queria trazer para o texto e aproveitando a tarde  tranquila fui até os álbuns escolher e fazer a "foto da foto", afinal tenho muitas fotos analógicas!

Estruturei mentalmente minhas ideias e programei-me para escrevê-las no final de semana, já que a filha precisaria usar o computador.

A escrita traz consigo uma espécie de mistério, de encantamento com nossas vivências e memórias.
E assim, no comecinho da noite, uma memória despertou em mim; enevoada, com pouquíssima clareza. Um livro. Um poema. Um gostar intenso.

Banhei-me por primeiro e passei colônia de bebê. Ess…

O amor na educação

O lado bom de ter um filho morando longe de casa é que, quando ele vem te visitar, até permite que você faça fotos dele!!!
São dois meses com o filho morando na faculdade. Aprendizados para nós que ficamos, aprendizados para ele que inicia seu voo solo.
No feriado do carnaval ele veio para casa e tivemos muito tempo juntos para conversar, o que foi ótimo para um coração de mãe!
Em pequenos detalhes relatados, na nova rotina que ele vivencia, a gente vai percebendo que toda a base, todas as sementes que semeamos desde o nascimento, fazem sentido, trazem maturidade e segurança. Momentos mais duros e difíceis, onde nós pais temos que intervir, mostram que são realmente necessários para que essa base seja mesmo firme e permita que longe de casa, eles possam "dar conta" dessa nova fase.
Quero destacar aqui, duas bonitas reflexões dessa nova jornada do Bernardo.
O abraço que ele me deu ao entrar em casa, foi, como dizem, de urso. Muito, muito apertado. E só pude ver que de seus olhos e…

Aprendo com meus filhos

Que alegria! Mais uma blogagem coletiva organizada pelas meninas, Tê Nolasco do blog Bolhinhas de Sabão para Maria e Cris Philene do Prosa de Mãe.
O tema proposto para esse mês é: "Filhos: com eles mais aprendo do que ensino".

Assim que o tema que seria proposto para essa blogagem, lembrei-me imediatamente de um programa na rádio, quando Monja Coen, da tradição zen-budista, atendeu ao telefone e orientou uma mãe muito aflita.

Essa mãe contava que sua rotina com o filho era tão atribulada que ela não encontrava tempo para suas orações, nem para frequentar algum templo, muito menos fazer um retiro. Lamentava-se por estar distante de sua religiosidade.

A resposta da monja foi surpreendente! "Você não precisa ir a nenhum templo e você não está de maneira alguma distante da tua religiosidade; você tem um professor te ensinando o tempo todo - o teu filho! Aprecie todos os ensinamentos e oportunidades que ele te proporciona e ensina dia a dia".

Quando sabemos que seremos mães,…

Malala e a volta às aulas

Minha filha está num misto de ansiedade e felicidade para a volta às aulas que se dará na próxima segunda-feira, dia 28.
Um novo ciclo se inicia para ela, agora o ensino médio; há vontade de rever os colegas, conhecer os novos professores e aprender - ela me disse que gosta muito de aprender coisas novas!


Já arrumou e desarrumou inúmeras vezes a mochila!
Os amigos dela aqui do prédio, iniciaram as aulas nesta semana, mais precisamente, ontem, dia 21. E minha filha perguntou-me se eu encontrei com a "galera" no caminho, pois levei nosso cachorro para passear no horário que eles estão indo a escola. Disse a ela que não vi ninguém e embora tenha achado estranho, falou que pode ter se equivocado e as aulas dos amigos começariam hoje, terça-feira. Pediu-me que eu ficasse atenta durante o passeio matinal.
Novamente encontrei o caminho sem alunos. Então à tarde ela desceu para a quadra e encontrou com os amigos. Quando subiu, chegou com ares de indignação:
" _ Mãe, você não vai acre…

Na casa da vizinha

Mais uma blogagem coletiva da qual participo com alegria, organizada pelas meninas Cris Philene do blog Prosa de Mãe e Tê Nolasco do blog Bolhinhas de Sabão para Maria.
O tema desta vez é "Ser mãe nem sempre é ser super".
Quero começar esse texto, convidando-os a uma reflexão a partir de uma arte. 

O artista dessa imagem pode ser conhecido no instagram - @m_melgrati e a publicação está no perfil @olugar.
Redes sociais que usam imagens/fotos e textos curtos, em sua quase totalidade, pode ser representada por essa imagem. Nas telinhas, todos estão felizes, não há cabelo no ralo.
No meu ralo tem cabelo, mas eu não vou fotografar e postar no instagram...
E por isso eu aprecio os blogs, os textos longos e as blogagens coletivas que nos permitem falar também sobre o cabelo que tá no ralo!
O problema não está no instagram, facebook, snapchat, enfim. O problema está em quem olha aquilo e acredita que há felicidade em tudo. Escolhemos o que publicar e podemos escolher também escolher em que…

Uma imensa família

São dez horas da noite de domingo, 13 de janeiro de 2018.
Os barulhos que você, meu filho, espalhava pela casa, estão ausentes.
A geladeira, o pote de iogurte natural sendo aberto, o pacote de aveia, a colher de plástico colorido que trouxemos de uma sorveteria revirando os sabores e texturas com o som da tv ao fundo se misturando com minha fala sonolenta de "não vai dormir tarde hein?".
E eu, que ainda no domingo passado fui dormir cedo, como de hábito, hoje nesse domingo, treze de janeiro, cedi lugar dentro dos meus olhos: a sonolência cedeu lugar para um tanto de lágrimas.
"Nem sempre lágrimas são só de tristeza meu amor"- assim me disse marido lá do seu trabalho,no comecinho da noite. Ele que hoje teve suas lentes de contato expulsas pela multiplicidade de lágrimas que lhe inundaram sem titubeios. Estamos segurando apertado nossas mãos e nossos corações.  

Pela manhã deixamos nosso filho na instituição que estudará ( deixamos é maneira de dizer, porque eu não tive c…