Pular para o conteúdo principal

Postagens

Irmãos

A porta se abre e no meu peito aquele misto de susto e alegria, que logo dá lugar à brinca no melhor estilo das mães!

- Menino, mas o que é isto? Por que tá andando com essas roupas?
-Ah mãe! Eu vim tirar uma foto com meu Juju porque logo não usarei mais essas roupas!




O encerramento do serviço militar está próximo e ele quis registrar esses momentos com a irmã.
Lembrei-me do dia em que, retornando do hospital, trouxe nos braços o  pacotinho, a irmãzinha Júlia! Ele quis pegá-la no colo. Eu, tinha o receio, tinha o desejo de que o vínculo se estabelecesse. O resultado? Aí, na foto tremida. Tirada por mãos trêmulas. Uma foto que, mesmo sem a estética devida, é de uma beleza imensa para meu coração.



Assim pequeninos, os ciúmes foram quase nenhum. Crescidos, ah... "Você sempre protege mais; de mim você não gosta; tudo sempre para..."
Das brincadeiras e cumplicidades da infância, chegamos em uma fase de afastamento da relação irmãos, que me entristecia muito e eu sem parâmetros para lidar co…
Postagens recentes

Mulher e mãe

Lá no mês passado, quando eu li a proposta deste tema - O lado mulher de toda mãe - a primeira coisa que me veio na mente, foram as imagens de revistas, da web, daquelas mães com corpos "perfeitos" e sensuais.
"Fulana é flagrada na praia de biquíni dois meses após dar à luz".

Percebi como é forte, como fica gravado, como é massacrante essa cultura de culto ao corpo e à juventude.

Ser mãe não exclui o ser mulher. Porém o que circula na mídia, nas redes sociais não representa de forma alguma a realidade da imensa maioria das mulheres.

Ter dinheiro, empregada, babá, cozinheira, assistentes, ajudantes cria um abismo entre a maioria, que tem que dar conta de sua própria rotina.

Não é ruim, nem negativo ter essas possibilidades. Muitas mulheres, atrizes, atletas, influenciadoras digitais, têm no corpo seu instrumento de trabalho.

Mas ser mulher e mãe é muito além de um corpo perfeito.

Quando a gente abraça a maternidade sabe que mudanças virão. A prioridade inicial é de nosso p…

Feliz dia das crianças!

A infância por aqui começa a morar mais no interior, no lado de dentro das crianças já crescidas!
Nunca deixamos de ser, de ter a criança dentro de nós. Acredito nisso.
Os filhos vão crescendo e toda aquela criancice que os fez saltar, rir, emburrar...
Os frios sentidos na barriga, as habilidades que vão adquirindo. Tudo fica, tudo permanece, tudo isso já fez morada lá dentro.

E é essa morada, esse habitar da criança em nós que permite prosseguir com leveza.

Que as infâncias sejam cultivadas, sejam vividas plenamente, cheias de sorrisos e choros também de aprendizados.
Que o brincar transborde a imaginação, faça o corpo saltitar.

Um feliz dia das crianças não importa a idade que se tenha!




Dias tristes

As bandeiras na escola onde Júlia estuda, estão a meio mastro. Ontem, segunda-feira, um garoto do nono ano cometeu suicídio.

As aulas estão suspensas. O clima é de consternação entre todos. Impossível imaginar a dor desses pais.

Ouvimos muito, especialmente durante o mês de setembro, que é voltado ao combate ao suicídio ( fiz duas postagens sobre este assunto ), mas nunca tínhamos passado por essa situação de maneira tão próxima.

Minha filha chegou chorando em casa, mesmo ela não conhecendo o garoto. Acolhi-a com um abraço e ao longo do dia foram muitas conversas. Ela me mostrava a cada momento as mensagens dos amigos, acolheu também amigas que estavam bastante abaladas, mostrou-me os relatos, as postagens, as indignações que surgiram e em meio a toda essa tragédia, está havendo falas bonitas através dos adolescentes, atitudes que surpreendem, reflexões que são importantes e certamente gerarão frutos.

Não somos próximo à família, então tudo o que podemos fazer é nossas preces, para que nu…

Mãe, você é feminista?

A fotografia foi feita no último final de semana de setembro, quando minha filha foi convidada a participar como mediadora de um evento na escola chamado Fórum Social. O evento foi para alunos do oitavo ano; Júlia ( de blusa amarelo-mostarda ) está no primeiro ano do ensino médio e como em anos anteriores ela participou ativamente, nesse ano recebeu o convite para mediar alguns fóruns que tratam de questões atuais, por vezes polêmicas da sociedade. Ela se envolveu, pesquisou, se preparou, chorou de emoção por ser seu último evento nesta escola ( vamos nos mudar em breve ).

Mas, não é sobre o evento que quero falar e sim sobre um assunto que dá título à essa postagem.

"Mãe, você é feminista?"

A pergunta foi feita pela minha filha há alguns anos e essa fotografia, as conversas que tive com ela sobre o evento me suscitaram a abordar o tema.

A resposta imediata que eu dei foi um balançar de cabeça nem pra lá, meio para cá, arregalei um pouco os olhos e aí ela me interrompeu:

"Já…

Transformar o mundo

"Se você quer mudar o mundo, vá para casa e ame sua família."

Que presente precioso a Renata me deixou em forma de um comentário! Essa frase, que não é apenas uma frase, um agrupamento de palavras. É algo muito maior, é de um significado profundo, eu diria mesmo que é uma chave. Uma chave de abrir portas, uma chave que nos abre muitas possibilidades.

Talvez as coisas mais simples sejam as mais difíceis de serem realizadas. E aqui estamos diante dessa simplicidade - ir para casa e amar sua família.

Talvez por ser tão simples, a gente banaliza e cai no automático, acreditando que basta entrar em casa e pronto.

Brilha os olhos uma fantástica viagem para lugares distantes, culturas exóticas, para lá mudarmos o mundo.

E nossa casa? Nosso lar?

Estar realmente presente ali, inteiro, olhando, ouvindo com atenção, levando um rosto com olhar leve, um sorriso. Quando acontecerem as lágrimas, elas serão acolhidas e aconchegadas.

Acho que nos perdemos da família, independente da configur…

Setembro amarelo - parte I

Eu resisti muito em trazer este tema para cá. Não é um assunto agradável, muitas vezes eu fico confusa por achar que dar tanta voz ao suicídio, aumenta-se ainda mais a questão. O que me fez trazer esse assunto para cá, foi uma costura que veio acontecendo nas últimas semanas envolvendo esse debate e eu cedi e gostaria de conversar com vocês.
Já no início do mês de setembro eu me deparei várias vezes com a "fitinha amarela", e só agora soube que, no Brasil, esse é o quarto ano da campanha e que a cada ano, o setembro amarelo traz uma reflexão:o tema central deste ano são os adolescentes.
Algum tempo depois, recebi um e-mail de uma editora, desses enviados para muitas pessoas e que havia ali algo que despertou a minha curiosidade. Uma manchete que assim dizia: "Setembro Amarelo: Facebook e Instagram contribuem na prevenção ao suicídio.
Cliquei e li a notícia. Ambas plataformas colocaram botões em que é possível denunciar ( leia-se ajudar ) pessoas que claramente estão a poucos…